sexta-feira, 8 de agosto de 2014

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

2ª Missa das crianças na paróquia do distrito de Palestina.










 Imagem de Nossa Senhora da Penha presenteada à paróquia 
em comemoração ao centenário da diocese do Crato

              Fonte: Pascom Paróquia do Sagrado Coração de Jesus.

Mauriti e Brejo Santo - únicos a cumprir o prazo no Cariri.


A Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela lei federal n°12.305 em agosto de 2010, definiu 2 de agosto de 2014 como data limite para o fim dos lixões no país. Quatro anos depois, o prazo está esgotado, e a realidade no Ceará está longe da determinada por lei. De acordo com o levantamento do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente do Ceará (Conpam), o estado ainda tem 280 lixões em funcionamento. Sem o cumprimento da lei, os municípios ficam sujeitos a multas e ações na Justiça por crime ambiental.
Dos 184 municípios, apenas dez (Fortaleza, Caucaia, Maranguape, Maracanaú, Eusébio, Aquiraz, Meruoca, Sobral, Mauriti e Brejo Santo) destinam os resíduos sólidos em aterros sanitários. De acordo com o Conpam, outros municípios chegaram a construir aterros, mas, por falta de uma gestão diferenciada e do custo alto da manutenção, eles voltaram a ter aspecto de lixão.

Parabéns Mauriti e Brejo Santo
No Cariri Cearense só Mauriti e Brejo Santo cumpriram com as metas, e nessas cidades além de uma coleta que funciona periodicamente, é dado um fim para os resíduos  segundo a lei federal n°12.305 em agosto de 2010.

Governo não prorrogará prazo
Mesmo com 60% dos municípios não atendendo a legislação válida a partir deste sábado (3), a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou nesta quinta-feira (31) que o governo federal não determinará a prorrogação do prazo para o início da aplicação da lei que proíbe o uso de lixões no país. Mais de metade dos municípios do país não tomaram as medidas necessárias para cumprir a determinação, que é conhecida como Política Nacional de Resíduos Sólidos. O prazo de adequação foi até este sábado (2).
“O governo entende que o assunto é tão importante que não se trata de prorrogar prazo. A decisão é manter prazo e nos colocarmos à disposição do Congresso para manter o diálogo”, disse Izabella Teixeira. De acordo com a ministra, o governo federal irá se reunir, no próximo dia 22, com autoridades do Ministério Público Federal nos estados para decidir soluções para o caso de municípios que estão descumprindo a nova norma.

Problemas da coleta
Além do problema de dar um fim ao lixo, muitos municípios ainda nem tem uma coleta de lixo eficiente, enfrentam problemas como o tempo da coleta, garis sem treinamento e sem equipamento se segurança, coleta seletiva e outros mais.
Se muitas cidades não resolvem o problema da coleta, fica mais difícil resolver o fim do lixo. Entre os impactos negativos dos lixões “irregulares”, a destinação inadequada dos resíduos sólidos em lixões gera contaminação dos lençóis freáticos e recursos hídricos superficiais, doenças como leptospirose, contaminação do solo e mudanças climáticas.

Fonte: OKariri.