quarta-feira, 4 de maio de 2016

José Santana é ordenado Diácono Permanente.


Os ritos litúrgicos, mediante os quais foram ordenados os dezenove candidatos, da Diocese de Crato, ao Diaconato Permanente, foi presidido pelo Bispo Diocesano, Dom Fernando Panico, em solene celebração realizada na manhã do sábado, dia 23 de abril, na Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha, em Crato – CE. A ordenação contou com a presença de padres, diáconos e centenas de fiéis.
Na homilia, dirigindo-se, de modo especial, aos futuros diáconos, afirmou que estes são chamados a “apontar o crucificado” e a proclamar: Jesus Cristo é o Senhor para a glória de Deus Pai. É contemplando Cristo, disse o Bispo, que aprendemos a servir, a amar e a dar a vida pelo outro, dando os passos necessários à vida eterna, para que os outros alcancem essa vida em plenitude. Às esposas dos candidatos ao ministério, exortou a manifestar, na vivência cotidiana do lar, toda alegria do amor que brota do sacramento matrimonial, que fortalece a busca da santidade. “Vocês, queridas irmãs, não serão ordenadas, mas serão, sim, convidadas a participar, intimamente, do diaconato permanente de seus esposos. Com eles, descubram a beleza de servir a Igreja na alegria do amor. Também os filhos e familiares devem ser pessoas que mostram o caminho da santidade”. Ao povo, Dom Fernando pediu que, pelas mãos de Nossa Senhora, sejam apresentadas preces para uma frutuosa missão.






José Santana e sua esposa Cristina Fabíola

Rito de ordenação
Sendo realizado na celebração da Santa Missa, o rito de ordenação ao diaconato é constituído de: eleição do candidato, homilia do Bispo, propósito dos eleitos, prece litânica, imposição das mãos e oração consecratória, imposição das vestes diaconais e entrega do livro dos evangelhos.
Os diáconos ordenados pertencem aos municípios de Juazeiro do Norte, Crato, Mauriti, Milagres, Brejo Santo, Missão Velha, Lavras da Mangabeira, Jati e Penaforte.

José Santana Barbosa
Primeiro Diácono Permanente da cidade de Mauriti


Juliana, Gabriel, José Santana, Cristina Fabíola e Mariana
Celebrando ao lado da família
            Fonte: Patrícia Mirelly e fotos de Patrícia Silva.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Totonho, o Luthier agricultor do Cariri Cearense.

Mestre Totonho
Luthier é a manifestação artística que engloba a construção e restauração, de modo artesanal, de instrumentos de corda com caixa de ressonância, tal como a violino, viola, violoncelo e contrabaixo.
Em Mauriti-CE, Antônio Gomes da Silva mais conhecido como “Mestre Totonho”, um pequeno agricultor, divide seu tempo entre os trabalhos na roça e a sua oficina onde ele constrói rabecas, violinos, violas, violoncelos e contrabaixos.
Mestre Totonho no ano 1978 começou a estudar musica mais como músico, ele considera que foi um fracasso, por isso resolveu investir na fabricação dos instrumentos.
Sua historia com a fabricação de instrumentos teve inicio no ano de 1981, naquela ocasião o Ceará enfrentava um período de seca, o que obrigou Totonho a se alistar do programa de emergência que estava sendo implantado no Município de Mauriti.
Com quatro meses de casado, ele anteviu que a “mincharia” paga pelo governo não dava para o sustento da família, então, ele foi embora para o estado de São Paulo. Lá, ele trabalhou como servente de pedreiro e montador de estruturas para construção.
Em São Paulo ele viu um violino pela primeira vez, e foi amor à primeira vista pelo instrumento. Foi então que ele começou a estudar a musica, deste vez para toca o violino, então, conheceu o maestro italiano e fabricante de violinos Augusto Lombardi, e com ele começou á ter as primeiras aulas de luthieria. Em Totonho 1989 retornou para São Félix em Mauriti, montou a sua oficina, e até então fabrica instrumentos musicais.
Mestre Totonho tem a fabricação artesanal de instrumentos na veia, pois é neto de José Pereira Ferro (Zé Ferro da família dos “Napoleão”), e filho de Messias Gomes que era tocador de viola caipira, e como sua família era pobre ele (Messias Gomes), fabricava as suas próprias violas.
Hoje, o Mestre Totonho é mestre da Cultura do estado do Ceará e representa Mauriti para o mundo.





            Fonte: OKariri e Saulo Gomes.

sexta-feira, 4 de março de 2016

Do nosso lugar pelas lentes de Giu Oliveira.



Pardal
Rolinha-Roxa ( Caldo de Feijão )

Troglodytes Musculus ( Garrincha )

Bredo













             Fotos: Giu Oliveira.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Barrufeiros do Forró foi a grande campeã do Forroband.


O Forroband, concurso dentro do programa Forrobodó que revela o mais novo sucesso de forró do Brasil, chegou ao final. Zé Bandeira e Barrufeiros do Forró foi a grande campeã dessa edição. O concurso teve a procura de várias bandas de todo o estado, selecionando 12 bandas, que foram inscritas para a disputa. Depois de semanas de votação, somente três estão na final: Zé Bandeira e Barrufeiros do Forró (Mauriti-CE), Forró Lançado (Guaiuba-CE) e Beijo de Amor (Pindoretama- CE).
A decisão aconteceu no dia 13/01/2016, e o Forrobodó teve a honra de encerrar esse evento que gerou repercussão e mostrou ao Brasil novos sucessos do forró.




Os finalistas

Zé Bandeira e Barrufeiros do Forró
A banda de é sediada em Mauriti-CE- Foi criada em 2007 através de brincadeiras entre amigos que resolveram formar um grupo e realizaram seu primeiro show ainda no ano de 2007. Deste então, a banda toca em bares, clubes, eventos, onde são convidados. Hoje, a banda tem oito anos e é composta por parentes e amigos. Com grande expectativa de vencer, os cantores são finalistas do grande concurso do forroband.

Forró Beijo de Amor
A banda é da cidade de Pindoretama - CE – Foi criada em 2014 quando um grupo de amigos e familiares se reuniu com o intuito de montar um projeto próprio no ramo forrozeiro. A inspiração para o nome surgiu através da cena de dois jovens na parada de ônibus, se olharem e em seguida se beijar. Assim um dos vocalistas teve a ideia de qual nome colocar na banda.  Hoje, a banda vem conquistando espaço no interior do Ceará.

Forró Lançado
Os vocalistas são naturais da cidade de Guaiuba-CE – O vocalista Vitinho começou a tocar em serestas e barzinhos da cidade de Guaiúba com amigos, quando um tio sugeriu que ele montasse uma banda. Há dois anos o rapaz e os músicos que se juntaram a ele nessa empreitada estão tocando em várias cidades e fazendo abertura de grandes shows e lutando para fazer diferente com seu próprio estilo.

              Fonte: TV Diário e Facebook.

Santo Antonio dos Posseiros no distrito de Anauá.

 Serra dos Três Irmãos





               Fotos: Vitor Araruna.

Museu pode virar realidade ainda este ano.

Pinturas rupestres da Pedra da Letra no distrito do Coité
De acordo com relatório dos Estudos Integrados do Patrimônio Cultural, Mauriti abriga enorme potencial arqueológico com recomendações do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) "para uma atenção redobrada quanto a este patrimônio". O Iphan é o órgão responsável pelo acompanhamento das etapas de construção e funcionamento do equipamento histórico.
A coordenadora geral do projeto, Manuelina Maria Duarte Cândido, ressalta que "como instituição de memória, o Museu cumprirá a sua missão de preservação e proteção da experiência histórica, da cultura e da identidade social, tornando-se referência para a população que ainda não possui acesso ao seu patrimônio". A especialista lembra que, além dos sítios pré-históricos, existe grande quantidade de sítios-colônias, muitos ainda a serem pesquisados.
Professores da Universidade Federal do Cariri (UFCA) comemoram a iniciativa ao defender a ampliação de pesquisa nas áreas onde descobertas já foram feitas. Estima-se que existam mais de 15 sítios arqueológicos na região. Isso porque, segundo estudiosos, o território serviu como área de moradia e abrigo a inúmeras tribos, além dos índios Kariris. As tribos teriam sido atraídas pela existência de mananciais perenes de água. Caso exista a comprovação de que Mauriti serviu como portal de entrada para diversas tribos indígenas vindas de outros estados do Nordeste, poderão ocorrer mudanças em relação ao povoamento da região.
As futuras instalações do museu arqueológico de Mauriti tem construção prevista para este ano e é um equipamento de suma importância para o resgate e preservação de nossa história. A construção será na Rua 3, no bairro Bela Vista, em frente à E.E.F. Sula Leite.

Fonte: Diário do Nordeste e MD.